quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

« RECLUSOS CHILENOS "SOTERRADOS" ao "AR LIVRE!" ... »





 Recluso agita a Bandeira Chilena na Penitenciária incendiada em Santiago



 Familiares de presos choram pela sua morte 





      O Chefe do Estado chileno viu-se confrontado com uma nova tragédia dentro do seu país, mas o final não foi feliz como no caso dos mineiros.

O Presidente, Sebastián Piñera, confirmou que já chega a 83 o número de mortos por causa de um incêndio que aconteceu após um motim na prisão de San Miguel, em Santiago.

Qualificou o acontecimento de "tremenda e dolorosa tragédia".

- “Não podemos seguir vivendo com um sistema prisional que é absolutamente desumano”.
Piñera fez o pronunciamento à porta de um dos hospitais para onde foram transferidos 14 feridos no incêndio.

Segundo o jornal chileno La Tercera, o fogo começou por volta das 4h30 (horas locais). Cerca de 200 presos foram retirados das suas celas para o pátio do presídio.

As mortes foram provocadas em sua maioria por asfixia, e a identidade das vítimas ainda não é completamente conhecida. O ministro da Saúde, Jaime Mañalich, esteve no local e disse que o incidente foi "o mais grave da história das prisões chilenas".

- Os 14 [feridos] estão com risco vital e foram transferidos para diferentes centros médicos na região metropolitana.

A polícia disse que o incêndio começou quando presos queimaram colchões em uma das alas do presídio, após uma zaragata.

Parentes dos 83 presos mortos agrediram as autoridades encarregadas de divulgar a lista de vítimas. Os familiares lançaram garrafas e pedras nos funcionários perto da prisão, segundo o relato feito por testemunhas aos meios de comunicação chilenos.

Um dos mais atingidos foi o intendente metropolitano, Fernando Echeverría, a quem os parentes insultaram e lançaram ovos e outros objetos. Echeverría disse antes de entrar  num veículo da polícia para escapar da ira dos familiares que conseguiu resgatar cerca de 65 presos do quarto andar da Torre 5, onde começou o incêndio.

A prisão de San Miguel está preparada para receber 1.100 presos, mas actualmente é ocupada por 1.961, uma circunstância que, segundo o director de Gendarmaria, Luis Masferrer Farías, "reflete a precariedade do sistema carcerário chileno".

O Presidente Sebastian Piñera prometeu reformar o sistema penitenciário do Chile.



 
O Presidente do Chile SEBASTIAN PIÑERA rodeado pela sua escolta






   Para lembrar quem é o actual Chefe do Estado Chileno, vamos aditar algumas notas:

Em entrevista concedida ao diário espanhol El Mundo no passado dia 1 de Julho, o candidato presidencial chileno da direita, Sebastián Piñera Echenique, afirmou:
«Fui sempre um opositor ao Governo de Pinochet, por duas razões fundamentais. Primeiro, porque nunca aceitei e sempre repudiei as violações sistemáticas, reiteradas e graves dos direitos humanos e, em segundo lugar, porque sempre acreditei que o melhor caminho para o Chile é a democracia, e o governo militar privou-nos da democracia durante 17 anos».

Dias antes, a 26 de Junho, respondendo a alusões do candidato presidencial da Concertación [N. do T.: Trata-se da coligação Concertación de Partidos por la Democracia], a respeito do processo por fraude contra o Banco de Talca e à multa por uso de informação privilegiada no caso da LAN Chile [N. do T.: Transportadora Aérea Nacional do Chile], Piñera retorquiu:

«Frei está mal informado. O Tribunal Supremo decretou de forma unânime a minha total inocência e tão pouco tive alguma vez algum problema com o uso de informação privilegiada».

Os documentos secretos do arquivo da sede local da CIA [Conf. os media] demonstram que, como é habitual nele, Sebastián Piñera está a faltar à verdade.

A respeito da primeira das suas afirmações, os documentos colocados a público pela imprensa e para conhecimento dos cidadãos, mostram não apenas que Piñera pertence à rede mais próxima de Pinochet, mas também denunciam, ou melhor, confirmam a relação directa entre essa afinidade e a origem da sua fortuna.

Para além disso, contribuem para explicar a antipatia visceral que a direita clássica e económica sente pelo candidato da direita política.

Se para a primeira se aplica o ditado “ave de mala ralea es la que emporca su propio nido” [N. Do T.: «a ave de má rês é a que suja o próprio ninho»], a segunda censura-lhe o morder a mão que lhe deu de comer.

No que respeita à resposta de Piñera a Frei, tão pouco é certo que o Supremo Tribunal tenha decretado a sua inocência. O que na verdade aconteceu é que uma secção desse tribunal acolheu um recurso de amparo [N. do T.: Trata-se de um mecanismo que permite aos cidadãos recorrer directamente para o Tribunal Constitucional quando está em causa uma violação grave dos seus direitos fundamentais] e por essa via interrompeu a investigação sobre a participação de Piñera.
Os documentos da CIA mostram não apenas a enormidade do nível de influências que se moveu, incluindo uma gestão de lobby do Embaixador dos EUA com o Presidente do Tribunal Supremo, mas também a operação de informação que o retirou do país quando tinha ordem de detenção, apesar da investigação judicial ter concluído com a condenação de dois dos envolvidos na fraude ao Banco de Talca, também mencionados nos documentos, que passaram um tempo considerável atrás das grades. 

Pensando um pouco sobre as ilustres personagens deste último parágrafo, esperemos não haver a desagradável possibilidade de os "Ficheiros" desenvolvidos pela WikiLeaks deitarem algum 'fumo' da sua chaminé. 

3 comentários:

Luisa disse...

A grande desgraça dos chilenos, é terem um Presidente como, Piñera.
Ele foi eleito democraticamente, contudo o povo não deve ter a memória curta. É um dos homens mais ricos do Chile, e está entre os mais ricos do mundo, segundo a “Forbes”. Não é crime ser-se rico, mas já é crime não proporcionar bem estar ao povo que preside.

Essa foto do Estabelecimento Prisional, é sinistra, mas mostra a realidade.

Beijinhos

Lu

César Ramos disse...

Luísa,

Gosto [é assim que se expressam numa rede social...]do comentário e concordo.

Acrescento o reparo do cheiro NAZI que tem a 'escolta'presidencial com atavio SS!
Patibular, no mínimo(...)

Bjos.
César

Maria Lúcia Marangon disse...

Que triste situação, meu Deus! Aqui no Brasil sempre acontecem situações como essa. O sistema carcerário aqui é de uma precariedade horrorosa. A questão é que quando as pessoas são tratadas como animais, elas reagem como animais e acontecem tragédias como essa. Muito triste!
Bom fim de semana, César. Abraços.
Maria Lúcia