sábado, 10 de abril de 2010

DERRAMANDO PAPOILAS DE SANGUE...





.

A papoila tem o tom vermelho, rubro da festa em brasa.

E, no verde manso do trigal - se aparece

É o grito que contesta a cor certinha o ondular cadente

ao toque do tempo - compassos do vento!...

É a gargalhada insólita, inesperada

que desfralda a revolta recalcada !

E... a papoila sabe!

Cativante! - Erótica, ao tacto macia...

tem toque de pele - morna como um ventre ...

tem toque de seda - um mole de veludo

- Um nada de cada - um pouco de tudo ...

Por isso, disfarça o olhar pestanudo

de estames fartos que o ópio perturba...

- Sabe-lhe o negrume e esconde-o bem

na cor escaldante que as pétalas tem.

- Bem de longe chama! - sou de sangue e lume!

- Sou de sangue e lume!...

- E, só se colhida - de morte já ferida

em requebro de tango, maldosa, perdida

sensual, pagã - confessa o ciúme

de usar veneno em vez de perfume.

.

Maria José Rijo

LIVRO DAS FLORES








.
Há pouco, recebi este Poema de presente!
Partilho-o com quem me quiser
acompanhar nos trigais campos
colhendo o espírito do pão
namorado das papoilas (...)

10 comentários:

Janela do Tejo disse...

Bem descrita no poema, a papoila.

simbologia de luta, de combate, pela sua cor escarlate, e erótica, até

Imagens, que ilustram na perfeição, o poema.

A cor com que o escreveu, e o que atrás descrevi, uma simbiose perfeita.

Beijinho
Maria

César Ramos disse...

Maria,

Obrigado, por comentar neste blog "fantasma"!

Não sei o que fazer, pois, para além deste, desdobro-me entre o Alfobre e o Munho!

Tudo, por causa dos ataques de vírus, ou lá o que foi, ao:

http://alfobre.blogspot.com

Com o receio de ter perdido definitivamente o blogue [Alfobre) fiz outro,... e outro!

Agora, parece que assumi a responsabilidade de manter três blogs vivos!

Em princípio tudo o que aparece no MUNHO, e no MUNHO DO ALFOBRE, deveria ir tudo para o original: o ALFOBRE!

Apareceram seguidores diferentes dos habituais do Alfobre.... E agora?

Sinto-me mal não escrever para quem se fidelizou como leitor, e vier à procura de algum texto actualizado!

Isto é pior do que "andar a trabalhar"...!

É,... a consideração devida a quem decidiu "seguir-nos"!

De facto, isto dos blogs e da blogosfera tem muito que se lhe diga...!

Talvez possa explicar às pessoas que estes dois blogs eram uma alternativa, e ficarão como suplentes no caso de o Alfobre voltar a ser alvo do ataque de todas as «baterias de guerra» para o massacrar com "viroses" informáticas!

Porque, foi o que aconteceu!

Manter três blogs, era bom se tivesse temáticas diferentes!

Mas não tenho!

Faço variações, mas... com uma nota só!!

- Uma, diária, de comunicação em geral...!
- Outra..., tipo culinária, ou corte e costura...[não sei nada disto!]
- E uma terceira temática... dada a assuntos terceiros, quartos e quintos... ou do tipo 5ª Coluna![era preciso ser chicaneiro!]

Obrigado pela paciência.

Beijos
César

Luisa disse...

...São papoilas saltitantes!

Papoilas, cor de Abril.

Abraços, César

Luisa

Louletania disse...

O Cesar mostra ter uma grande «pedalada» pois manter mais do que um blog com a qualidade que se vê não é para qualquer um. Em em Abril papoilas mil. Abraço - Palma - Louletania

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Boa noite, César!
A papoula, ainda mais da cor rubra, tem grande poder embrigante, entorpecente, que torna tudo menos doloroso. A cor também é a da persistência, do *sê firme, forte e inteiro*.
Muito lindo e significativo o seu poema. Vim até aqui e fico, com muita honra.
Boas-Vindas sempre!
Aquele abraço.
Muito obrigada.
Renata
PS: Acabo de acordar; se escrevi alguma bobagem, desculpa aí, ok? Volto e visito os seus outros blogs!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ai, o poema é da Maria! Esta hora fica tudo embrulhadinho. Parabéns à Maria e ao César por divulgá-lo.
Renata

César Ramos disse...

Olá Renata,

Em meu nome e do de Maria, agradeço as suas gentis palavras.

Já sou seu seguidor desde há algum tempo. Na sua lista, apareço já lá para os fundoooos... bem discreto!
Vejo no seu blog a fiel presença do meu Amigo José (Poeta), e sinto-me honrado por fazer parte da lista em que ele também consta. Isto aconteceu sem termos trocado nenhuma opinião; foi assim,... sem querer!... a qualidade e a amizade pressentem-se!!

Este blog (Munho do Alfobre),e o outro (MUNHO), fazem parte de uma «Santíssima Trindade»:
- É o blogue inicial, http://alfobre.blogspot.com
e os outros dois, fruto de incidentes (ou acidentes?) informáticos,uma "grande virose" que ia terminando com a vida do Alfobre, criado no dia 7 de Fevereiro de 2009.
Desesperado c/a ameça da perda dele, fiz o MUNHO, e dei por mim a criar também o Munho do Alfobre!!

Isto prejudica um pouco a lógica das coisas, posto que ainda não me deu para me dedicar à especialização de um tema.

Parece não fazer grande sentido ter três blogues para me debruçar sobre assuntos gerais, que no fundo é o escape da minha necessidade de comunicar através de ideias que, aleatoriamente me surgem no espírito!

Acontece que tenho dias em que me apetece escrever sobre três matérias de interesse geral (?)-duvidoso-, e não ia publicar tudo no mesmo dia no mesmo blog!Disponho assim de três 'montras'!
O pior,... é quando estou "em branco" para redigir um só post!

Será sempre bem vinda, quando quiser 'passear' um pouco por estes espaços baptizados com nomes mais ou menos rurais.

Obrigado e um Abraço

César Ramos

César Ramos disse...

Amigo Palma,

Com sempre, muito gentil e encorajador nos seus elogios que me ultrapassam.

Esta 'pedalada' foi devida ao ter perdido a esperança de recuperar o Alfobre, após as"viroses" que o atingiram.

Vamos indo, tentando alimentar mais dois espaços sem "especialização".
A m/salvação seria a Arte, a Culinária, ou outro assunto! Porém, nada entendo disto para ter a ousadia de ocupar terreno na blogosfera.

Escrever sobre Judo é enjoativo para quem lê, sobre Tiro Olímpico, além de assustar as pessoas, também não teria grande audiência; sobre Direito, já estou ultrapassado, e não me apetece passar cartão aos 'guerrilheiros' magistrados que se esquecem de que o poder político deve estar separado do poder judicial! Afinal, quem pisa o risco é o poder judicial às arremetidas contra o poder político!
Assim, não tenho um leque de escolha para arranjar um blog que se diga temático!

O que eu gostava era de poder comentar no seu Blog!
O que se passará comigo, que não atino? Os comentários não "agarram"!
Até parece desconsideração, não corresponder à gentileza da sua assiduidade!Não é uma obrigação!mas sim um prazer fazer parte dos óptimos posts que publica.

Se não existisse já um blog com um nome parecido [refiro O JUMENTO - o excelente BLOG!], auto-intitular-me-ia:
O Blogue do BURRO!!

Um grande abraço e muito obrigado
pela sua dedicação.

César Ramos

César Ramos disse...

Luísa,

Pois são! muito saltitantes!

Com sempre fui apaixonado por papoilas [nunca gostei muito foi daquela antiga canção 'Maria papoila...'], tive sempre muita pena de nunca conseguir levar uma para casa numa jarrinha! São extremamente sensíveis! São mesmo flores de Liberdade! Arrancadas do chão, morrem logo a seguir!

Era como meter um pássaro silvestre na gaiola (...)

Abraços e uma boa semana

César Ramos

momo disse...

Las amapolas ...en mi tierra se cubrian los campos de rojo...
me gusta